Lentes da história

Há exatos 120 anos, Charles Miller e seus amigos participaram da primeira partida de futebol no país. Em um campo amador no bairro do Brás, em São Paulo, tinha início a história do esporte de maior apelo no Brasil. Infelizmente, daquela tarde temos apenas os relatos feitos pelos atletas e seus familiares, isso porque a fotografia ainda não era presente na vida da maioria da população brasileira. Se uma imagem vale mais do que mil palavras, o fotojornalismo para o esporte é do valor do ouro.

O repórter fotográfico Walter Alves tem uma vasta experiência com o esporte. Desde o inicio dos anos 2000, ele já passou pelos jornais Tribuna do Paraná e Gazeta do Povo, cobrindo principalmente futebol. Nesse período, Alves passou por situações inusitadas, “Um jogo que sempre vou lembrar foi entre Atlético e Pachuca do México, pela semifinal da Sul Americana. Como não existia wi-fi no estádio, tive que correr no intervalo para um lan-house perto do estádio, para mandar as fotos para o jornal”, conta o fotógrafo.

Com o avanço da tecnologia, tirar diversos fotos em poucos segundos se tornou possível. Isso auxilia na cobertura esportiva, visto que os lances importantes do evento ocorrem em um piscar de olhos. Mesmo assim é preciso uma visão apurada do desporto para “prever” os futuros lances, “Eu me sinto participante da partida. Fico na beira de campo e tenho que pensar tão rápido quanto o jogador, até mais, porque eu preciso bater as fotos. Um gol, um nocaute, uma cortada no vôlei, tudo isso é muito rápido, se define em 2, 3 segundos.”, afirmou Alves.

Quais os esportes estarão em voga daqui a 120 anos nós não sabemos. Mas, quando nossos descendentes olharem para o passado verão todas as histórias fantásticas contadas pelo esporte registradas pelos “guardiões do tempo”, ou, se preferir, fotojornalistas.

Jorge de Sousa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *