Brasil supera adversário e cansaço e se garante na final do basquete no Pan-Americano

 

Foi com muita dificuldade, mas o Brasil conseguiu sua classificação para a decisão do torneio de basquete dos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Vitória por 68 a 62 contra a República Dominicana, um adversário que vendeu caro a derrota para os brasileiros. Augusto Lima foi o principal destaque da seleção com um double-double (15 pontos e 11 rebotes), equipe essa que mostrou sentir o cansaço, já que voltou a quadra menos de 24 horas depois de seu último jogo pela fase de grupos. Agora, o Brasil espera pelo vencedor do confronto entre Estados Unidos e Canadá para conhecer o seu rival na final, que acontecerá no próximo sábado (25) às 17:30 (horário de Brasília).

1º QUARTO: Com a mesma escalação das últimas partidas (Rafael Luz, Vitor Benite, Leo Meindl, Rafael Hettsheimeir e Augusto Lima) o Brasil começou a semifinal dos Jogos Pan-Americanos com o mesmo estilo dos últimos jogos. Defesa forte, bom aproveitamento dos chutes de longa distância, vitória na tábua de rebotes e muitos passes trocados no ataque. Já a República Dominicana baseava seu jogo com o ala-armador James Stokley, cestinha da equipe no torneio. O equilíbrio foi voga ate o final do período, mesmo com a rotação (entrando Fischer, Larry Taylor, Toledo, Olivinha e J.P Batista) sendo utilizada por Ruben Magnano. No final, 18 a 12 para os brasileiros.

2º QUARTO: A marcação do Brasil “afrouxou” no início do período e fez com que os dominicanos diminuíssem a vantagem para apenas um ponto nos primeiros seis minutos de quarto. Mas, nada que um tempo técnico de Magnano não desse jeito. Leo Meindl, Olivinha e J.P Batista não foram bem defensivamente e ganharam sonoras broncas do treinador argentino. Calma no jogo de meia quadra e forte atuação de Augusto Lima no garrafão recolocaram o jogo nos trilhos e a vantagem foi sendo ampliada e voltou a casa dos seis pontos (35 a 29 no final do primeiro tempo).

3º QUARTO: Mais uma vez o Brasil não conseguiu se achar defensivamente e viu a República Dominicana empatar o jogo no meio do terceiro período. Outro fator decisivo para a reação dominicana foi o baixo aproveitamento ofensivo dos brasileiros, seja nos chutes de três ou nas jogadas no garrafão, além do aproveitamento baixo dos lances livres (menos de 70%). Com isso a moral dos caribenhos ficou ainda mais elevada e os dois times foram se alternando na liderança do período, que terminou empatado (50 a 50).

4º QUARTO: O nervosismo tomou conta no início do último quarto. Prova disso é que foram necessários mais quase três minutos para a primeira cesta ocorrer (lance livre convertido pelo armador brasileiro Ricardo Fischer). Muitos erros de passe e de cestas “fáceis” mantiveram o jogo em uma pontuação baixa e empatado na metade do período. O destaque fica para o pivô brasileiro Augusto Lima, que com mais uma boa atuação liderou o Brasil em quadra (15 pontos e 11 rebotes) e foi decisivo para a vitória por 68 a 62, que garantiu a equipe rumo a mais uma final de Jogos Pan=Americanos.

Jorge de Sousa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *