A popularização da cultura nerd

Antes de qualquer coisa, para que possamos falar sobre a popularização da cultura nerd ou geek, precisamos saber o que essas palavras significam.

O termo ‘nerd’ tem um contexto histórico. Uma das versões para o seu surgimento foi de que antes ele era usado para designar representantes do departamento de pesquisa e desenvolvimento de uma empresa elétrica canadense, a Northern Eletric (atual Nortel), sendo assim, o nome deriva de Northern Eletric Research and Development, ou abreviando NERD. Pouco depois a palavra foi usada como forma de nomear aquelas pessoas que eram muito estudiosas e tinham certa dificuldade no relacionamento social (algo semelhante ao CDF aqui no Brasil). Já a palavra Geek era uma gíria que passou a ser utilizada para denominar pessoas que eram, de certo modo, obcecadas por tecnologia. Claro, esse termo só teve esse significado e deixou de ser pejorativo no início dos anos 90, antes era apenas um sinônimo para tolo.

Agora que já podemos entrar no assunto principal, fica a pergunta: Você conhece ou já viu alguém, pessoalmente ou nas redes sociais, que fala/posta coisas que remetem a super-heróis ou coisas do gênero? Certamente a resposta é sim, e isso tudo graças a popularização da cultura nerd/geek. Como já foi dito, ser chamado de nerd era uma ofensa. Agora, em que momento essa denominação passou a ter um caráter diferente, passando do ruim para o legal? Certamente existiram vários fatores para que isso acontecesse. Tanto social quanto econômicos.

Talvez o maior agente para o nerd ter se tornado tão popular tenha sido a própria internet. Possivelmente você chegou até este texto através do Facebook, que nada mais é do que uma invenção de um nerd. Você também pode ter visualizado a postagem através do seu iPhone, que é um produto criado por um dos maiores nerds, mas caso tenha apenas visualizado por um computador comum, você ainda não fugiu das mãos de outros nerds. Em outras palavras, Bill Gates, Mark Zuckemberg, Steve Jobs e todos os outros grandes nomes que fizeram da internet e da tecnologia o que ela é hoje se tornaram símbolos admirados e são modelos de que o Nerd pode ter grande poder ou influência e estão em todo o lugar.

Outro agente da popularização foram as megaproduções cinematográficas inspiradas em quadrinhos ou vídeo games. Os filmes de super heróis tomaram forma no início dos anos 2000 e hoje dominam as telas dos cinemas por todo o mundo. Sim, no passado também tinham filmes de super heróis, porém o primeiro que realmente teve destaque foi o Batman em 1989 que trouxe nomes como o de Michael Keaton e Jack Nicholson ao cenário nerd.

Não poderia deixar de falar sobre influência sem citar a série da Warner, The Big Bang Theory. TBBT é o típico seriado americano que cativa o público através da comédia. Claro, a série também é cercada de estereótipos, mas em contra ponto ela consegue quebrar esses mesmos estereótipos, mostrando que uma generalização entre as pessoas é algo besta, pois cada um tem suas particularidades, que são representadas entre os quatro personagens principais: Sheldon, Leonard, Rajesh e Howard.

Para alguns, essa globalização do estilo nerd foi ótima, pois com a popularização a tendência é a inclusão daqueles que antes eram alvos de bullying e taxados de ‘esquisitos’, porém, para outros, essa distribuição acabou dissolvendo a essência do Nerd, e, em parte, eles também estão certos. Com a chegada dessa tendência era claro que o setor econômico também iria entrar no mesmo embalo. Várias lojas oferecem roupas e acessórios que complementam o então criado estilo Geek. Porém, as vendas se dão como forma de aprovação ou necessidade de demonstrar também exteriormente a autoafirmação pessoal. As roupas deixam de ser apenas roupas, mas se tornam uma forma de identidade daquele grupo na sociedade.

Particularmente não vejo nada de errado nisso. Até tenho algumas camisas assim, porém isso faz mal pra essência do true nerd, e é nesse ponto justamente que entro em acordo com aqueles que são desgostosos em relação a popularização do nerd, pois um nerd não se importa com suas roupas, mas sim com o seu conteúdo. Hoje, qualquer pessoa que use óculos ou que já tenha jogado Mario uma vez na vida e tem uma camisa verde com um cogumelo e escrito 1 UP se auto intitulam nerd’s, porém vai muito além disso. Mas isso também já é outra discussão e a deixaremos para outra hora.

O problema central da popularização da cultura nerd é que muita coisa acabou se misturando e acabou se confundindo, deixando muita coisa sem sentido por ter sido padronizado.

Enfim, se você chegou até aqui, parabéns.

Para concluir, não é que essa popularização seja ruim. Ela é boa. Mas muita coisa deve ser ajustada individualmente para que funcione. Faça parte, produza, viva a essência. Não basta simplesmente você usar um óculos com armação grande, passar o final de semana upando em um mmo-rpg qualquer e se auto nominar um nerd. Para isso é necessário somar, pois a força está em você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *