Alemanha fura retranca da Suécia, vence e conquista o ouro inédito no futebol feminino – Conexão News

Alemanha fura retranca da Suécia, vence e conquista o ouro inédito no futebol feminino

gui coimbra

O Maraca é nosso! O grito popularizado nas arquibancadas pelas torcidas dos clubes cariocas que mandam seus jogos no Maracanã, hoje pode ser ouvido em alemão. Depois de ser o palco da conquista do tetracampeonato mundial da seleção alemã há dois anos, nesta sexta-feira (19), foi a vez da seleção feminina da Alemanha fazer a festa no estádio – e ainda tem a decisão do masculino amanhã. O reinado do futebol germânico ficou ainda mais fortalecido após as alemãs vencerem a Suécia por 2 a 1 e conquistarem a primeira medalha de ouro da equipe nos Jogos Olímpicos. E o triunfo teve um nome: Marozsán. A camisa 10 marcou um golaço no comecinho do segundo tempo e deu início ao segundo gol, aos 15 minutos da etapa final. Saiu dos pés dela a cobrança de falta que explodiu na trave e sobrou na canela da sueca Sembrant, que mandou contra a própria meta. As escandinavas ainda descontaram com Blackstenius, aos 21 minutos, mas não foi o suficiente. Alemanha é ouro no feminino.

A Suécia adotou a mesma proposta de jogo que deu certo contra Estados Unidos e Brasil, e que fez com que chegassem à final: recuada, com uma linha de quatro e outra de cinco jogadoras, chamando a Alemanha para o seu campo e apostando nos contra-ataques. E a estratégia amenizou a pressão e por vezes assustou a meta alemã. Aos nove minutos, Schelin recebeu lançamento, invadiu a área e rolou para Schogh, de primeira, mandar por cima. Aos 27, foi a vez de Seger inverter para Schelin. A camisa 8 dominou, avançou e bateu de fora da área, por cima do gol de Schult.

Com uma proposta mais ofensiva e tentando furar o ferrolho, a Alemanha perdeu boas chances de abrir o placar. Aos 17 minutos, Mittag tentou de fora da área e Lindahl defendeu em dois tempos. Aos 20, Kemme recebeu pela esquerda e cruzou na medida para Leupolz, que cabeceou por cima com muito perigo. Aos 24 veio a melhor chance. Maier subiu pela direita, cortou para o meio e arriscou da entrada da área. A goleira sueca deu rebote, e Mittag, na pequena área, com o gol aberto, chutou para fora.

O segundo tempo compensou a ausência de emoção da primeira etapa. Logo aos dois minutos, o primeiro gol da decisão enfim saiu. Leupolz avançou pela direita e cruzou rasteiro, a bola passou por todo mundo e chegou em Marozsán. A camisa 10 dominou e bateu no alto, sem chances para Lindahl. A Alemanha ainda ampliou pouco depois, aos 15min. Maroszán cobrou falta, a bola explodiu na trave, e no rebote a zagueira Sembrant pegou de canela e mandou contra o próprio gol.

Com a fatura praticamente liquidada, as alemãs passaram a controlar com mais tranquilidade o jogo. Mas não durou por muito tempo a calmaria da equipe de Silvia Neid. Aos 21 minutos, Asllani lançou Schough na direita, que cruzou na área, na medida, para Blackstenius completar para o fundo das redes e recolocar as suecas no jogo.

A Suécia passou a se expor e buscar o ataque em busca do empate. A Alemanha quase aproveitou. Aos 30, Maier apareceu na grande área e bateu rasteiro para boa defesa de Lindahl. A goleira ainda salvou mais uma cobrança de falta de Marozsán, aos 38 minutos, espalmando para escanteio. Com o desespero tomando conta ao passar do tempo, as suecas passaram a atacar ainda mais. Aos 41, bola cruzada da esquerda e Schough, livre, furou na área. Ela ainda tentou novamente aos 44, fez uma bela jogada, limpou a marcação, mas cruzou no vazio, na última grande chance de buscar o empate.

A Alemanha conquista a medalha de ouro pela primeira vez na sua história, após bater na trave e conquistar o bronze em três ocasiões: Sydney (2000), Atenas (2004) e Pequim (2008).

Imagem: Divulgação/Rio2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *