Arthur Zanetti levanta o público, mas fica com a prata nas argolas – Conexão News

Arthur Zanetti levanta o público, mas fica com a prata nas argolas

Danilo

A disputa da final das argolas, na ginástica artística, agitou o dia olímpico na Rio 2016. Para o Brasil era grande a esperança de medalhas no dia e para Arthur Zanetti a coroação do bicampeonato olímpico. Mesmo levantando o público presente o brasileiro ficou 0.234 atrás do campeão mundial, Eleftherios Petrounias da Grécia, e acabou conquistando a medalha de prata para o Brasil.

O primeiro atleta a se apresentar foi o chinês Hao You, atual vice campeão mundial, o ginasta acabou ficando com a nota 15.400, que logo foi superada pelo atual campeão mundial (e principal adversário de Zanetti), o grego Eleftherios Petrounias. Após uma brilhante apresentação o atual campeão mundial conseguiu a nota de 16.000, o que praticamente garantiu sua presença no pódio.

Enquanto os outros ginastas iam se apresentando, a grande expectativa era para a participação do brasileiro. Quando o outro atleta chinês, Yang Liu, conseguiu a nota 15.600, tirando do pódio o seu compatriota e vice campeão do mundo, o ginásio se surpreendeu e ficou apreensivo. Após o ucraniano Igor Radivilov se apresentar e ficar com a nota de 15.466, o pódio estava da seguinte forma: em primeiro Petrounias, da Grécia com 16.000, com a medalha de prata Denis Abliazin, da Rússia com 15.700 e em terceiro lugar o chinês Yang Liu com a nota de 15.600.

Quando Zanetti começou a se preparar o ginásio veio abaixo. Durante toda a sua apresentação era possível sentir a respiração de cada um que estava no ginásio, tamanho o silêncio que era. Os aplausos vieram antes da cravada, no momento em que ele realizou a posição de cristo nas argolas. No momento da nota o grito era de “Brasil, Brasil”, quando o telão mostrou o resultado dos árbitros marcando 15.766 a decepção foi grande, para em um milésimo de segundo os aplausos se fazerem presentes.

Arthur Zanetti não ficou com o ouro como há quatro anos, mas ficou com a prata, um grande feito para uma modalidade que ainda está crescendo no país. A medalha dourada ficou merecidamente no peito do grego Eleftherios Petrounias, que agora se tornou campeão mundial e olímpico na prova. Após o pódio o público presente começou a cantar o hino nacional brasileiro para a emoção de todos, inclusive do ginasta brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *