Aos 37 anos, Nicholas Santos conquista a prata no Mundial de Esportes Aquáticos

da redacao

Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Nicholas Santos é um fenômeno. O nadador de Ribeirão Preto, aos 37 anos, é o mais velho medalhista em Mundiais de natação em atividade e nesta segunda-feira, dia 24, confirmou sua excepcional forma ao ganhar novamente a prata nos 50m borboleta (22s79). No último Mundial, em Kazan 2015, ele também foi o vice-campeão da prova. O vencedor da disputa foi o britânico Benjamin Proud (22s75). O ucraniano Andrii Govorov ficou com o bronze (22s84).

“Estou super feliz, estou no ‘plus’, com 37 anos. Sou o nadador mais velho a ganhar medalha em Mundial e ainda estão me perguntando se vou para Tóquio 2020. Vamos pensar primeiro no Mundial de Curta (25 metros) do ano que vem. Venho acompanhando os caras competindo e sabia que ele (Benjamin), quando descansasse, nadaria bem melhor. Não esperava grandes resultados do Govorov, e no momento que você coloca pressão se vê quem segura a onda ou não. Amanhã é aniversário de meu filho, queria dar o ouro para ele, mas essa prata tá valendo muito. Fiquei bastante feliz com o resultado do revezamento de ontem, fazia muitos anos que não tínhamos medalha, achei que o diferencial foi o Marcelo e o Fratus fechando braço a braço com o Nathan Adrian. No Mundial de Curta temos bastante medalhas, mas no de longa estava demorando” disse Nicholas.

Curiosamente, no Mundial da Rússia em 2015 o Brasil obteve as mesmas colocações: segundo e sexto lugar. A diferença foi que em Budapeste ao invés de Cesar Cielo (23s21) foi Henrique Martins o sexto colocado, com 23s14, tempo que lhe daria o bronze há dois anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *