De volta para casa em busca do sonho olímpico

Danilo

No currículo são títulos aos montes, passagens por todas as seleções de base do Brasil, viagens para os quatro cantos do mundo, aprendizados, ensinamentos e dificuldades. Tudo vivido dentro dos tatames com a filosofia do judô, esporte que mais conquistou medalhas para o Brasil na história dos Jogos Olímpicos. Henrique Miniskowsky, 24 anos, luta na categoria para atletas até 90kg. Já foi vice-campeão mundial, heptacampeão pan-americano, penta campeão brasileiro, mas ainda falta algo na sua história, uma participação em Jogos Olímpicos.

Em 2014, quando ainda era atleta da Sogipa, sofreu uma lesão séria, ficou um bom tempo parado, sem saber se voltaria para as disputas em alto rendimento. Natural de Curitiba, Henrique se via longe de casa e perdido, sem saber o que fazer.”Primeiramente eu queria voltar aos tatames, para depois ver o que eu faria da minha vida. Foi quando surgiu a oportunidade de voltar para Curitiba, voltar para perto de casa”, disse o atleta sobre um dos momentos mais complicados da sua carreira.

Atualmente Miniskowsky treina na equipe Judô Tonietto, de Curitiba. O atleta que conviveu e treinou lado a lado com judocas da seleção brasileira e vivenciou histórias dentro dos dois maiores clubes de judô do país – Pinheiros e Sogipa, hoje divide os treinos e os ensinamentos com a jovem e promissora safra paranaense da equipe. Além de treinar e representar o Judô Tonietto, ele também tem a oportunidade de passar tudo que aprendeu na sua carreira e ser um espelho para os atletas que buscam chegar até onde ele já chegou.

Banner-Alterado1

O Começo

A trajetória no judô começou na escola aos três anos de idade e durou até os nove anos, quando começou a treinar mais frequentemente no Paraná Clube. Aos 12 anos foi campeão brasileiro e aí tomou mais gosto pela modalidade que se tornou uma paixão.

A carreira em Curitiba foi curta, logo aos 14 anos já surgiu os primeiros pensamentos de se mudar para outra cidade afim de crescer e evoluir mais na carreira. Com 16 apareceu a oportunidade de ir para o Esporte Clube Pinheiros, de São Paulo, uma das principais agremiações de judô do país.

“Aqui (Curitiba) eu achava que ninguém podia ganhar de mim, mesmo eu sendo novinho. Lá no Pinheiros tinha Tiago Camilo, Leandro Guilheiro,  uma série de atletas renomados e medalhistas olímpicos. Foi lá que tive uma realidade totalmente diferente, apanhei bastante”, disse.

Henrique 1
Henrique em ação defendendo o Pinheiros. Foto: Arquivo Pessoal.

Henrique Miniskowsky foi atleta da seleção brasileira desde o sub-13 até o sub-21. Viajou quase o mundo todo representando o Brasil. “Conheci das melhores estruturas até as piores no judô. Assumo, que em muitos momentos da minha carreira eu não aproveitei como deveria ter aproveitado, mas são coisas que têm que acontecer para aprender”, afirmou.

Em 2009, foi vice-campeão mundial sub-18, no Mundial de Budapeste, na Hungria. No ano de 2013, conseguiu o feito de se tornar heptacampeão pan-americano, somando suas conquistas desde o sub-15 até o sub-21. Durante seis anos, de 2009 até 2014, o Pinheiros foi sua casa, quando a Sogipa, de Porto Alegre o convidou para a equipe e ele foi atrás de novos objetivos na carreira.

Lesão e o retorno para casa

Na Sogipa,  em 2014, Miniskowsky teve um dos melhores anos da sua carreira. Foi campeão brasileiro sênior e sub-23, o momento bom vinha reafirmar o ano anterior no qual foi medalhista em mundial e campeão pan-americano. Mas naquele que era o melhor momento da sua carreira, onde o sonho de representar o país em uma Olimpíada começava a ficar mais claro veio uma grave lesão no joelho que quase o fez parar. “Em 2014 eu tive um dos melhores anos da minha carreira, só que sofri uma lesão bem séria que quase me fez parar”.

Neste momento o pensamento era apenas voltar a competir, voltar bem. “Eu botei primeiro na minha cabeça que eu teria que voltar pro judô, voltar bem. Eu não pensava em mais nada, só em voltar a competir, continuar no mesmo nível e minha cabeça ficou confusa. Até o ano passado eu estava bem confuso. Foi aí que eu resolvi voltar para casa, onde teria uma qualidade mental e um apoio moral melhor”, e complementou, “voltei para que minha carreira não chegasse ao fim tão cedo”.

Objetivos

Henrique decidiu voltar para casa para retomar a promissora carreira, voltar para a seleção brasileira conseguir realizar o seu principal sonho que é representar o Brasil em uma Olimpíada. “Esse ano o meu principal objetivo é voltar para a seleção brasileira. Depois vem outros degraus, que é pontuar no ranking mundial, medalhar em mundial e chegar nas Olimpíadas 2020, objetivo é chegar na Olimpíada”, disse o confiante atleta.

Defendendo a equipe Judô Tonietto já conquistou o título paranaense sênior e se prepara para a disputa do Troféu Brasil, em Belo Horizonte (MG). Atualmente, é o terceiro colocado no ranking nacional sênior da Confederação Brasileira de Judô (CBJ).

Apoiadores do Henrique

Apoiadores

Foto de capa: Guto Kuerten

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *