O Brasileirão que ninguém quer ganhar!

Danilo

Incompetência. Falta de vontade. Parece que esses são os mantras de Corinthians, Palmeiras e Santos no Brasileirão. O que era um título certo do Timão, devido a campanha impecável no primeiro turno, virou um campeonato aberto com a pífia campanha do time do Parque São Jorge. O segundo turno desastroso abriu margem para Palmeiras e Santos sonharem com a conquista do título, mas parece que ambos não estão muito afim de erguer o troféu ao fim da 39ª rodada.

Se o Corinthians vem caindo de rendimento cada vez mais, o Santos poderia ser hoje o líder do campeonato, mas atuações sem ânimo e pontos bobos perdidos fizeram e equipe da Vila Belmiro ser superada pelo rival alviverde da capital e ficar ainda distante do Corinthians.

O Palmeiras por sua vez teve uma melhora significativa no campeonato após a saída do técnico Cuca. O Palestra vem em boa fase e tinha na noite de ontem a chance de diminuir para três pontos a diferença para o líder Corinthians, e ainda mais, tendo a oportunidade de um confronto direto na próxima rodada. Mas parece que assim como o Santos, o Palmeiras também não entrou inspirado a conquistar o título do Brasileirão.

Se os rivais diretos do Corinthians tivessem vencido seus duelos a diferença hoje seria de apenas três pontos, ou seja, confronto aberto e emocionante até o final do campeonato. Mas enquanto o Corinthians faz uma força enorme para não ser campeão, Santos e Palmeiras fazem o mesmo esforço. O que parece é que ninguém quer o título.

Segundo os matemáticos o Corinthians tem 70% de chance de ficar com o título, o Palmeiras por sua vez tem 20% de chance de levantar o troféu, enquanto o Santos praticamente deu adeus ao título e ficou com apenas 6% de chance de conquistar o Brasileirão. Quase certo mesmo é que as três equipes tem quase 100% de chance de se classificar para a Libertadores, só um desastre tiraria os trio paulista da competição continental em 2018.

Nós temos mais sete rodadas para saber quem vai levantar a taça do Brasileirão. Por enquanto, o que fica é a dúvida: algum dos três no momento merece vencer?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *