O dia que o “gerente” do Giants ficou louco

ANA

 

O que era para ter sido mais uma terça feira normal no mundo da NFL (National Futebol League) se tornou o verdadeiro caaaos quando o perfil no twitter do New York Giants anunciou que Bem McAdoo – treinador do time – optou por deixar ninguém mais, ninguém menos do que Eli Manning no banco para ter Geno Smith como seu quarterback titular no jogo deste domingo contra os Raiders.

 

Isso poderia ser mais uma decisão de direito de um treinador, mas não quando estamos falando de Eli Manning. A última vez que ele não foi titular em uma partida foi em novembro de 2004 em um confronto contra os Cardinals que se encerrou com vitória do time de Arizona por 17 a 14, nessa ocasião o titular do time de Nova York foi Kurt Warner. Sem falar que Manning, segundo dados do ESPN Stats and Info, lançou 99% dos passes dos nova iorquinos desde a sua primeira partida e também conta com a marca de 210 jogos seguidos como titular.

 

Os números só tornam a decisão de McAdoo ainda mais absurda, para não falar desrespeitosa. A solução de McAdoo para não sair como vilão foi deixar a escolha com Manning, ou seja, a oferta era que Eli começasse as partidas para manter sua sequência de partidas – a mais longa dos jogadores atuais da NFL – mas iria para o banco durante o jogo. O número 10 dos Giants, visivelmente chateado com a situação contou que não sabe se teve, de fato, seu último jogo com o uniforme do time e sobre a conversa com o treinador, “McAdoo me disse que eu continuaria a começar os jogos, mas Geno e Davis teriam a oportunidade de jogar, entrando no meio da partida. Eu acho que se você vai colocar os outros caras, que então coloque logo”, disse o quarterback.

 

É importante que Eli já tem 36 anos, uma idade avançada para a média dos jogadores e tudo acontecer com ele nesse momento é muito triste para os fãs do esporte, sendo ou não torcedores dos Giants. É fato que o time de nova Iorque não vem tendo uma boa campanha, mas o time ocupa a vigésima sexta posição em jardas corridas por jogo e a mesma posição em sacks sofridos, mas isso não é culpa de Manning, nem teria como ser, e todos parecem ver isso, menos McAdoo, que parece acreditar que a responsabilidade é total do quarterback, porém a campanha de 2-9 (duas vitórias-9 derrotas) deixa claro que não é bem assim. É claro que como membro do time ele tem sua responsabilidade, inclusive por sua maturidade, mas a escolha não é justificável.

 

Em sua defesa, Ben declarou que “é responsabilidade do treinador fazer uma avaliação geral do time, do topo ao fim, na posição de quarterback inclusive, é uma projeção rumo à próxima temporada”, mas o que torna isso ainda mais bizarro é que não se sabe nem se teremos Bem McAdoo como treinador na temporada 2018, então muito mais parece mais uma das tentativas do treinador de colocar Manning em “calças justas”, como já fez anteriormente.

 

Os fãs da NFL tem muito o que refletir sobre essa decisão, é algo que vai marcar a história não apenas do New York Giants, mas também da liga. Mas é fato que Manning não tem culpa sozinho, se o time se encontra do jeito que está, é pelo coletivo, começando pelo senhor McAdoo. Poderia aproveitar para falar que Geno Smith não é solução e muito menos Davis Webb, um calouro. O time, de maneira geral, está prejudicado, conta com várias lesões e obviamente só paga pelas consequências de atitudes impensadas anteriormente.

O futuro de Ben McAdoo, Geno Smith, Davis Webb e até mesmo do New York Giants só o tempo irá dizer, mas por enquanto temos esse exemplo de bizarrice para torcer que não passe nem perto do nosso time. E quanto ao duas vezes MVP (most valuable player) no Super Bowl, Eli Manning? Eli sweetie, I’m so sorry. I’m so sorry that ugly coach like this would even say that, oh my god.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *