Brasil terá 13 tenistas no Australia Open, entre juvenis e profissionais

A ATP e a WTA divulgaram a lista de tenistas classificados para a chave principal e do qualifying de simples e duplas do Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada 2018. Bia Haddad Maia, Thomaz Bellucci, Thiago Monteiro, Rogerio Dutra Silva, Marcelo Melo, Bruno Soares, Marcelo Demoliner e André Sá estão confirmados no torneio, que começa no dia 15 de janeiro.

Esta será a primeira vez que Bia Maia entrará direto na chave principal do Australian Open. A paulista, que atingiu o top 100 pela primeira vez este ano, é a atual número 1 do Brasil e 71 do mundo. Este será o quarto Grand Slam da carreira da tenista de 21 anos, que furou o quali e jogou Roland Garros e entrou direto em Wimbledon, onde passou para a segunda rodada, e no US Open.

“Estou muito feliz, será meu primeiro Australian Open. Estou me preparando, o primeiro foco é em Auckland. Quero manter meu objetivo de me manter agressiva, sólida e acreditar em mim independente das adversárias, que são duras também. Então, é trabalhar no dia-a-dia para chegar bem na Austrália”, afirmou Bia.

No masculino, Thomaz Bellucci buscará no quali sua décima participação no primeiro Grand Slam da temporada e Rogério Dutra Silva e Thiago Monteiro tentarão jogar a chave principal pelo segundo ano consecutivo. Número 101 do mundo, Rogerinho está classificado para o quali, mas ainda tem boas chances de entrar direto na chave principal, caso haja desistência. Nas duplas, Bruno Soares busca o bicampeonato e Marcelo Melo pretende se manter na primeira colocação no ranking.

No juvenil, o Brasil conta com a presença de cinco Thiago Wild, João Lucas Reis, Matheus Pucinelli e Igor Gimenez na chave principal e Gilbert Klier no quali. Número 21 do mundo e primeiro do país no juvenil, Wild disputará pela primeira vez o Australian Open. Mas em 2018, o foco do paranaense de 17 anos será no profissional.

“Comecei a pré-temporada semana passada. Fiquei um tempo parado porque torci o tornozelo no Challenger do Rio. Fiquei umas duas semanas parado, de férias e em recuperação. Eu já joguei todos os Grand Slams menos esse e como é meu último ano no juvenil vou com a mentalidade de ser campeão, mas meu foco para o ano que vem será o profissional, principalmente a transição para Challengers para jogar torneios maiores e subir mais rápido no ranking”, afirmou o tenista, que conquistou seu primeiro título no profissional, em Antalya, na Turquia, e que venceu o top 100 Nicolas Jarry, no challenger do Rio de Janeiro, em novembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *