“Bruxo”, muito obrigado! – Conexão News

“Bruxo”, muito obrigado!

Danilo

“Olha o que ele fez, olha o que ele fez, olha o que ele fez”… foi assim que conheci o Ronaldinho Gaúcho. Aliás, ainda era apenas Ronaldinho. Era estreia da Copa América e dele com a amarelinha. A então jovem promessa do Grêmio, aos 19 anos de idade, corpo franzino e cabelos raspados, entrava no segundo tempo do duelo contra a Venezuela para fazer um gol antológico e digno de placa. Surgia ali, o futuro “bruxo” e melhor do mundo.

A seleção comandada por Luxemburgo conquistou naquele ano de 1999 a Copa América e Ronaldinho surgiu para o mundo como um novo craque do futebol brasileiro. Os anos que se passaram transformara no Gaúcho em um dos mais promissores atletas do escrete canarinho. Não demorou e ganhou titularidade, fama e dominou as páginas do mundo.

Em 2001 foi para Paris, contratado pelo PSG foi ídolo na França. E um ano depois foi um dos principais nomes da conquista do penta pela seleção brasileira. Como esquecer daquele jogo nas quartas de final contra a Inglaterra. Aquele prélio para mim foi um dos maiores jogos dele com a camisa da seleção. Matou primeiro os ingleses com um gol inesquecível e depois os brasileiros do coração após ser expulso e deixar a partida com aquele tom dramático.

Vi o Gaúcho ser ídolo na França e ir para o Barcelona participar de um time histórico. Ganhar duas bolas de ouro, realizar jogadas inimagináveis e ainda por cima ser aplaudido pelos torcedores do maior rival em pleno Santiago Bernabeu após um golaço.

Dono de dribles desconcertantes, do famoso sinal imitado por todos. Gaúcho foi com toda a certeza um dos grandes que vi jogar. No Flamengo só não fez chover em um duelo com o Santos, que partida, que gol de falta que ele fez. No Galo conseguiu o feito de conquistar a Libertadores e virar ídolo em mais um clube.

No coração dos brasileiros fica a saudade, o sorriso moleque, a ginga e malemolência que só ele tinha. Ele sempre foi a cara do futebol brasileiro e a amarelinha sente muita falta de ser vestida pelo bruxo. Naquele toco para um lado e olho para o outro a saudade fica e as lembranças se fazem mais presente.

Obrigado Ronaldinho Gaúcho, por fazer minha infância e adolescência mais feliz. Com certeza irei falar para meus netos e filhos que vi o bruxo dribrar muito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *