Arbitragem volta a ser destaque na 3ª rodada no Brasileirão

Claudemir dos Santos

A arbitragem foi destaque negativo na 3ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após
apenas 7 clubes, dos 20 da elite do futebol, aceitarem pagar as despesas do VAR
(arbítrio por vídeo), o arrependimento têm batido na porta, pois o apito têm gerado
muita polêmica. A decisão tem custado caro e os lances duvidosos prejudicam os
resultados e a posição na tabela de classificação. Neste fim de semana, pelo menos duas
partidas levaram torcedores a protestarem muito nos estádios.

No jogo de Atlético-MG e Corinthians, na Arena Independência, o juiz anulou o
primeiro gol do Galo após 2 minutos. Na etapa final, foi à vez do timão reclamar
impedimento no lance que gerou o gol da vitória dos mineiros por 1 a 0. Na capital
paulista, Alianz Parque, o Palmeiras não saiu do zero contra a Chapecoense. Dois gols
foram mal anulados e prejudicaram o verdão de conquistar mais três pontos em casa.
Muitas vezes a arbitragem não tem culpa, há questões de interpretação ou limitação da
percepção humana, mas o vídeo ajuda e nada pode competir com a força das imagens.

rib9265 (1)

A rodada do Brasileirão começou com a vitória do Botafogo contra o poderoso Grêmio
por 2 a 1 no estádio Nilton Santos. O destaque ficou por conta do golaço do lateral
Gilson aos 46 minutos do segundo tempo. O Sport bateu o Paraná Clube por 2 a 1 fora
de casa, em Curitiba. Já o Bahia recebeu o Atlético-PR e não saiu do zero, mesmo
placar de Internacional e Cruzeiro no Beira – Rio. No Maracanã, o São Paulo perdeu a
chance de engatar a segunda vitória no campeonato, ao sofrer o empate do Fluminense
no final do segundo tempo. Em Fortaleza, só uma goleada do Flamengo sobre o Ceará
foi capaz de espantar o clima péssimo entre torcedores e time. Fechando a rodada,
América-MG bateu o Vitória e subiu para terceira colocação. O jogo de Santos e Vasco
foi adiado para o dia 16 de maio, devido aos compromissos dos times na Taça
Libertadores da América.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *