Trombei com um astro do tênis, pedi desculpas e não o reconheci

ASSINATURA DANILO

Faz tempo que não apareço por aqui com as minhas histórias do meio esportivo, mas era por um bom motivo meu sumiço, estava em Buenos Aires cobrindo minha segunda Olimpíada e acumulando mais histórias para contar para vocês. Mas o causo de hoje é lá de 2016 nos Jogos Olímpicos do Rio.

Era um dia agitado nos Jogos pois tinham muitas informações ao mesmo tempo chegando. O Brasil vinha bem neste dia também. A minha pauta era cobrir o duelo entre Rafael Nadal e Thomaz Bellucci. O brasileiro vinha bem na competição e a partida valia vaga na semifinal olímpica, ou seja, não dava para perder.

Cheguei cedo como de costume no local de competição, o estádio olímpico de tênis estava lotado, a festa da torcida brasileira era incrível. A partida foi boa, mas não deu para Bellucci, o espanhol Nadal joga muito e fez valer a experiência.

Depois do duelo corri para a zona mista para entrevistar o Bellucci. Entrevistas rápidas como de praxe para quem sai derrotado e eu sai para escrever a matéria sobre o jogo no Mains Press Center (MPC). Eis que recebo uma mensagem no celular, não lembro quem estava jogando naquele dia no basquete, mas era um assunto importante. Naquela correria de jornalista eu vou respondendo um áudio no whats enquanto estou chegando na zona de convivência onde atletas e torcida passavam antes e depois das partidas de tênis.

Como desastrado que eu sou acabei trombando em alguém. Sabe quando você tromba e a pessoa coloca a mão em você e você meio que faz aquele sinal com a mão pedindo desculpa e trocam aquela clichê de frase: “desculpa, foi sem querer” e a pessoa responde “não foi nada”? Pois bem, foi isso que eu fiz, mas em inglês já que na Olimpíada, mesmo estando no Brasil era mais fácil falar em inglês mesmo do que soltar um português e a pessoa não entender.

O que eu não entendi foi quando dei dois ou três passos após trombar na pessoa escutar alguns gritos histéricos. Eis que olho para trás e me surpreendo e por um segundo fiquei pensando “não pode ser Danilo… você não foi tão burro assim”. Sabem quem era a pessoa que eu trombei, troquei desculpas e fui embora? Rafael Nadal, sim ele mesmo, Nadal um dos gênios do tênis mundial. Perdi ali uma baita entrevista? Uma foto? Sim, perdi. Mas em troca sabe o que ganhei? História para contar do dia que trombei com o Nadal e só depois fui perceber.

Vocês devem estar se perguntando o motivo de não ter voltado e falado com ele não é mesmo? Nem eu sei explicar. Fica a lembrança daquele bom jogo que eu vi e do breve contato que tivemos, mesmo que tenha sido sem querer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *