Liverpool prova que o impossível não existe

VICTOR FELIX

Nesta terça-feira (07) aconteceu o jogo de volta das semifinais da UEFA Champions League, em que Barcelona e Liverpool se enfrentaram em um jogo histórico. No jogo da ida, o Barcelona atropelou o Liverpool jogando em sua casa, no Camp Nou, com show de Lionel Messi que marcou 2 gols, e um de Suárez vencendo por 3 a 0 o Liverpool que não assustou os catalães até então.

Desacreditado pelos críticos, jornalistas e alguns torcedores,  o Liverpool chegou ao jogo da volta com a dura missão de reverter o placar do primeiro jogo, algo quase impossível, se levarmos e conta que a equipe do Barcelona estava descansada, porque já foram campeões espanhol, e em seu último jogo pouparam os titulares, ao contrário do Liverpool, que ainda luta pelo título inglês com o Manchester City; Além disso, os Reds não contavam com duas de suas principais peças do time, Roberto Firmino e Mohamed Salah que ficaram de fora da partida.

Shaqiri e Origi entraram no lugar dos craques e deram conta do recado, e logo aos 7 minutos de jogo, Origi abriu o placar para o Liverpool. Durante o primeiro tempo o jogo foi bem equilibrado e ambas as equipes criaram bastante oportunidades. No segundo tempo, Wijnaldum entrou no time do Liverpool no lugar de Robertson que sentiu dores e fez a alegria dos torcedores, pois em 10 minutos marcou dois gols e empatou a disputa levando o jogo até então para a prorrogação; Mas aos 34 minutos do segundo tempo Origi fez o 4º e enlouqueceu os torcedores, obrigando a equipe do Barcelona a sair para o jogo e marcar um gol, o que classificaria os espanhóis novamente. Mas com um segundo tempo fraco, em que o craque Lionel Messi não conseguiu achar espaços e os jogadores erravam muitos passes, os ingleses suportaram a pressão e venceram o jogo com uma linda festa da torcida após a partida com os atletas.

E o Liverpool avançou para sua segunda final seguida de Champions League, e vai lutar agora para vencer a competição que não ganha desde 2005 quando ergueu a taça após um jogo histórico contra o Milan, em Instambul , numa final em que perdia de 3 a 0 e que empatou a partida e a venceu nos pênaltis, aquela final ficou conhecida como “O milagre de Instambul”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *