Guia Copa América 2019: saiba tudo sobre a competição

Reportagem especial: Claudemir Santos, Gabriel Thá e Guilherme Boller

A bola começa a rolar nesta sexta-feira (14) para a disputa da Copa América, onde 10 seleções sul-americanas e dois convidados brigam pelo troféu. Como sempre Brasil e Argentina chegam com o favoritismo, o Brasil pelo bom elenco e por jogar em casa e os hermanos por causa de Messi e companhia, apesar da fila de 26 anos sem títulos. Outras seleção que chega forte para a competição em solo brasileiro é o Uruguai comandado por Suárez e Cavani.

Atuais bicampeões do torneio, o Chile não chega com tanta força para essa edição, assim como a Colômbia que também pode surpreender. Os convidados Japão e Catar tendem a ser meros figurantes, assim como Bolívia, Peru e Venezuela.

 

 

GRUPO A

BOLÍVIA

MARCELO MORENO

A seleção da Bolívia foi campeã da Copa América em 1963 e vem para esta edição no Brasil com esperanças no seu maior artilheiro: Marcelo Moreno, jogador que atua na China (Wuhan Zall). O atacante com passagens por Cruzeiro e Grêmio busca se tornar o maior artilheiro da história do time boliviano. Moreno é filho de um brasileiro casado com uma boliviana, ele chegou a defender a Seleção Brasileira nas categorias Sub17 e Sub20. Hoje ele é casado com uma brasileira. E Marcelo Moreno está muito perto da consagração como maior goleador do país: basta marcar três gols, alcançando Joaquín Botero, maior artilheiro, com 20 gols.

Melhor participação: Campeão em 1963
Craque do time: Marcelo Moreno (Atacante)

CONVOCAÇÃO

GOLEIROS: Viscarra (Oriente Petrolero), Araúz (Royal Pari), Cordano (Blooming).

DEFESA: Sagredo (Blooming), Valverde (The Strongest), Haquin (Oriente Petrolero), Ánez (Oriente Petrolero), Oscar Ribera (Sport Boys), Montero (Jorge Wilstermann).

MEIAS e VOLANTES: Campos (The Strongest), Cardozo (The Strongest), Bejarano (Oriente Petrolero), Saavedra (Bolívar), Justiniano (Bolívar), Wayar (The Strongest), Juan Ribera (Oriente Petrolero), Alano (Blooming), Vilarroel (Bolívar), Mercado (Guabirá).

ATACANTES: Marcelo Moreno (Wuhan Zall), Álvarez (Al-Hazen), Leonardo Vaca (Blooming) e Henry Vaca (The Strongest).

TÉCNICO: César Farias

 

BRASIL

DANI ALVES

A Seleção Brasileira vem pressionada para essa Copa América em casa. Ganhar a competição é a promessa de dias tranquilos na Granja Comary e para o planejamento, visando a Copa no Qatar em 2022. O treinador Tite sabe da responsabilidade, ele procurou mexer pouco na base do time, provavelmente a maioria desses jogadores que foram convocados não irão fazer parte do grupo que vai à próxima Copa do Mundo. O Brasil que precisa conviver com a cobrança de resultados e um desempenho melhor em campo, mas que teve que amargar o corte da sua principal aposta: Neymar se machucou no amistoso contra o Qatar aos 10 minutos do primeiro tempo.

Melhor participação: Maior vencedor da história com oito títulos de campeão da Competição (1919, 1922, 1949, 1989, 1997, 1999, 2004 e 2007).

Craque do time: Com o corte de Neymar, cabe ao Daniel Alves (Paris Saint – Germain) assumir a liderança em campo.

CONVOCAÇÃO

GOLEIROS: Alisson (Liverpool), Cássio (Corinthians), Ederson (Manchester City).

LATERAIS: Filipe Luis (Atlético de Madrid), Alex Sandro (Juventus), Daniel Alves (Paris Saint – Germain), Fagner (Corinthians).

ZAGUEIROS: Thiago Silva (Paris Saint – Germain), Miranda (Internazionale), Marquinhos (Paris Saint – Germain), Éder Militão (Porto).

VOLANTES e MEIAS: Casemiro (Real Madrid), Arthur (Barcelona), Philippe Coutinho (Barcelona), Allan (Napoli), Fernandinho (Manchester City), Lucas Paquetá (Milan).

ATACANTES: David Neres (Ajax), Gabriel Jesus (Machester City), Neymar (Paris Saint – Germain), Everton (Grêmio), Roberto Firmino (Liverpool), Richarlison (Everton).

TÉCNICO: Tite

VENEZUELA

A seleção venezuelana vem de boas campanhas nas duas últimas edições da Copa América. Em 2011 chegou ao 4ª lugar – melhor campanha da história e quatro anos depois foi derrubada pela Argentina nas quartas de final. O time venceu a Argentina, em amistoso, realizado em março deste ano, mas contra o México, há 2 dias, perdeu por 3 a 1. Junto com a Bolívia a tendência é correr por fora no grupo.

Melhor participação: 4º lugar em 2011

Craque do time: Rondon (Atacante)

CONVOCAÇÃO

GOLEIROS: Farinez (Millonarios), Romo (Apoel), Graterol (Zamora)

DEFESA: Osorio (Vitória Guimarães), Chancellor (Al-Ahli), Villanueva (Gimnástic), Hernandez (Stabaek), Feltsher (La Galaxy), Rosales (Espanyol), Mago (Palestino).

MEIAS E VOLANTES: Rincón (Torino), Moreno (D.C. United), Figuera (La Guaira), Luis Seijas (Santa Fe), Herrera (Huesca), Machis (Cádiz), Jhon Murillo (Tandela), Anor (Huesca), Savarino (Real Salt Lake), Penaranda (Watford)

ATACANTES: Rondon (Newcastle Unidet), Matínez (Atlanta United), Aristeguieta (América de Cali)

TÉCNICO: Rafael Dudamel

 

PERU

A Seleção Peruana bi-campeã na história da Copa América vem para edição no Brasil com as esperanças no atacante Guerrero, jogador que atua no Internacional. Experiente e conhecedor do solo brasileiro, o craque do Peru busca confirmar o favoritismo do time que é cotado a ficar com uma das vagas à próxima fase. O Peru estreia na Arena do Grêmio, dia 15 de junho, diante da Venezuela.

Melhor participação: duas vezes campeão da Competição (1939 e 1975)

Craque do time: Paolo Guerrero (Atacante)

CONVOCAÇÃO

GOLEIROS: Gallese (Alianza Lima), Cáceda (Melgar), Àlvarez (Sporting Cristal)

DEFESA: Corzo (Universitário), Araujo (Talleres), Advíncula (Rayo Vallecano), Santamaria (Atlas), Abram (Vélez Sarsfield), Trauco (Flamengo), Zambrano (FC Basel), Callens (New York City).

MEIAS E VOLANTES: Tapia (Willem II), Yotún (Cruz Azul), Pretell (Sporting Cristal), Gonzáles (Sporting Cristal), Flores (Monarcas), Cueva (Santos), Polo (Portland Timbers), André Carrilo (All Hilal), Hurtado (Konyaspor).

ATACANTES: Guerrero (Internacional), Farfán (Lokomotiv), Ruidíaz (Seattle Sounders)

TÉCNICO: Ricardo Gareca

 

 

O grupo B da Copa América pode ser considerado o mais equilibrado desta edição do torneio. Composto pelas seleções da Argentina, Catar, Colômbia e Paraguai, o grupo conta com três seleções sul-americanas de muita tradição, além da presença do Catar, estreante no torneio. Argentina e Colômbia chegam como duas das favoritas a levarem o título para casa. A seleção do Paraguai não costuma figurar entre os postulantes ao título, mas pode surpreender. A equipe fez boa campanha nas eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia, deixando a vaga escapar na última rodada contra a Venezuela. Já a seleção asiática, sede da próxima Copa do Mundo, vem ao Brasil para buscar o aprimoramento técnico e competitivo da equipe, que não quer fazer feio em casa no próximo Mundial.

ARGENTINA

 

Comandada pelo técnico Lionel Scaloni, a Argentina vem ao Brasil muito pressionada após a Copa do Mundo de 2018. Demissões em sequência de técnicos, problemas nos bastidores da Federação e cobrança em cima dos principais jogadores da equipe tornaram o ambiente turbulento na equipe albiceleste nestes últimos anos. A lista de jogadores convocados conta com grandes nomes do futebol argentino, além de marcar a volta de craques à seleção. A principal ausência sentida foi a de Mauro Icardi, atacante da Internazionale.

CONVOCADOS:

Goleiros: Esteban Andrada (Boca Juniors), Franco Armani (River Plate) e Agustín Marchesín (América-MEX).

Defensores: Renzo Saravia (Racing), Nicolás Otamendi (Manchester City), Juan Foyth (Tottenham), Germán Pezella (Fiorentina), Ramiro Funes Mori (Villareal), Nicolás Tagliafico (Ajax), Marcos Acuña (Sporting) e Milton Casco (River Plate).

Meio-campistas: Rodrigo de Paul (Udinese), Leandro Paredes (PSG), Roberto Pereyra (Watford), Giovani Lo Celso (Betis), Ángel Di Maria (PSG), Guido Rodríguez (América-MEX) e Exequiel Palacios (River Plate).

Atacantes: Lionel Messi (Barcelona), Sergio Agüero (Manchester City), Paulo Dybala (Juventus), Matías Suárez (River Plate) e Lautaro Martínez (Internazionale).

 

RETROSPECTO:

Com 14 títulos conquistados, a seleção da Argentina é a segunda que mais vezes venceu a Copa América, atrás apenas do Uruguai. Entretanto, a equipe vem de um longo jejum de títulos com o time principal, tendo conquistado o último título da Copa América em 1993. Vice-campeã nas duas últimas edições, nosso hermanos buscam quebrar este tabu e alcançar o título que esteve muito próximo em 2015 e 2016.

DESTAQUE:

Sem dúvidas nenhuma, Lionel Messi é o craque e grande nome desta geração argentina. O jogador, que é tido como um dos melhores na história do futebol, conquistou o ouro olímpico com a seleção em 2004, mas sente as cobranças por nunca ter conquistado um título com a equipe principal. O camisa 10 chegou muito próximo em 2014 na Copa do Mundo, onde foi eleito o craque da competição e nas edições de 2015 e 2016 da Copa América, ficando com o vice nestas ocasiões. As frustrações das quedas em finais, além do fraco desempenho apresentado no último Mundial colocam sob Messi o peso e a cobrança para que a seleção alcance o título em 2019.

 

COLÔMBIA

 

A seleção da Colômbia tem um elenco recheado de estrelas do futebol mundial. O técnico Carlos Queiroz trouxe ao Brasil uma equipe com forte poder ofensivo e nomes consagrados como o do ídolo Falcao García.

CONVOCADOS:

Goleiros: Ospina (Napoli), Montero (Tolima) e Vargas (Deportivo Cali)

Defensores: Dávinson Sánchez (Tottenham), Yerry Mina (Everton), Zapata (Milan), Lucumí (Genk), Santiago Arias (Atletico de Madri), Cristian Borja (Sporting), William Tesillo (León) e Stefan Medina (Pachuca).

Meio-campistas: Cuéllar (Flamengo), Wílmar Barrios (Zenit), Lerma (Bornemouth), Cardona (Pachuca), Cuadrado (Juventus), Luis Díaz (Junior Barranquilla), Mateus Uribe (América-MEX) e James Rodríguez (Bayern de Munique).

Atacantes: Falcao García (Monaco), Zapata (Atalanta), Roger Martínez (América-MEX) e Luis Muriel (Fiorentina).

RETROSPECTO:

A seleção colombiana tem pouca tradição na Copa América, tendo chegado somente duas vezes na final. Campeã em 2001 e vice em 1975, a equipe busca reverter a escrita e se colocar como uma das principais equipes do futebol sul-americano. Na última edição terminou com a terceira colocação.

DESTAQUE:

Mesmo não tem feito a melhor temporada de sua carreira e sofrendo por conta de lesões, James Rodríguez chega para a Copa América com o status de craque da seleção colombiana. O meia é um dos principais nomes da atual geração e é o grande destaque da seleção desde a Copa do Mundo de 2014.

 

PARAGUAI

 

A equipe paraguaia costuma ser consistente na Copa América, geralmente figurando nas fases eliminatórias e sempre dando muito trabalho para as grandes seleções. A equipe de Eduardo Berizzo pode surpreender mais uma vez nesta edição, com alguns jogadores que já são bem conhecidos pela torcida brasileira.

 

CONVOCADOS:

Goleiros: Alfredo Aguilar, Junior “Gatito” Fernández e Antony Silva.

Defensores: Juan Escobar, Fabián Balbuena, Gustavo Gómez, Iván Torres, Iván Piris, Bruno Valdez, Junior Alonso e Santiago Arzamendia.

Meio-campistas: Rodrigo Rojas, Matías Rojas, Celso Ortiz, Hernán Pérez, Miguel Almirón e Richard Ortiz.

Atacantes: Derlis González, Frederico Santander, Cecilio Domínguez, Juan Iturbe, Óscar Romero e Óscar Cardozo.

 

RETROSPECTO:

A equipe já ergueu o troféu da Copa América em duas ocasiões: 1953 e 1979. Além dos títulos conquistados, a seleção já chegou na final em outras 6 edições, ficando com o vice-campeonato. Nas duas últimas edições da Copa América, o Paraguai chegou até as semifinais, mesmo tendo vencido apenas uma das 15 partidas disputadas (9 empates e 5 derrotas).

DESTAQUE:

Maior contratação da história do Newcastle United, Miguel Almirón é também a grande esperança da seleção paraguaia nesta Copa América. O meia de 25 anos foi contratado no início deste ano a peso de ouro pela equipe inglesa após fazer excelente temporada no Atlanta United, da Major League Soccer (MLS). O camisa 23 é um dos melhores jogadores da equipe e tem a missão de, dentro de campo, liderar o Paraguai na busca pelo espaço entre as grandes seleções.

CATAR

Convidada pela Conmebol, a seleção do Catar fará a sua primeira participação na Copa América. A equipe asiática foi a última campeão da Copa da Ásia e será sede do próximo Mundial em 2022. É a nona seleção fora da Conmebol a disputar a Copa América, sendo a segunda asiática a participar do torneio.

 

CONVOCADOS:

Goleiros: Saad Al Sheeb, Mohammed Al Bakri e Yousef Hassan.

Defensores: Almahdi Ali, Abdelkarim Hassan, Pedro Miguel Correia, Hamid Ismaeil, Tameem Al Muhaza e Salem Al Hajri.

Meio-campistas: Ahmed Fathy, Bassam Hisham, Karim Boudiaf, Tarek Salman, Abdulaziz Hatem, Ahmed Doozandeh, Assim Madibo e Abdullah Abdulsalam.

Atacantes: Ali Hassan Afif, Almoez Ali, Akram Afif e Hassan Al Heidos.

 

RETROSPECTO:

É a estreia da seleção no torneio em 2019.

DESTAQUE:

O atacante Almoez Ali é o grande destaque da seleção asiática. De origem sudanesa, o jogador de 22 anos é o maior artilheiro de uma única edição da Copa da Ásia, com 9 gols. Atuando pela seleção principal de 2016, Ali foi fundamental para a conquista do torneio asiático no início deste ano, sendo a principal esperança de gols nesta Copa América.

 

CHILE

Os atuais Bicampeões da Copa América, sonham diretamente com o tricampeonato. O técnico colombiano Reinaldo Rueda deixou o comando do Flamengo para assumir a seleção chilena, e a sua equipe é novamente uma das favoritas ao título da competição.

O treinador optou por não levar o goleiro do Manchester City Claudio Bravo e também o volante Marcelo Díaz, do Racing. Já o principal nome desta seleção Alexís Sanches está confirmado. O jogador, de 30 anos, teve uma temporada ruim no Manchester United, porém é a expectativa de gols da seleção chilena.

Técnico: Reinaldo Rueda

Destaque: Alexís Sanches

A estreia é diante do Japão, no dia 17 de junho, as 20hrs, no Morumbi.

GOLEIROS

Gabriel Arias (Racing-ARG); Brayan Cortés (Colo Colo); Yerko Urra (Huachipato)

DEFENSORES

Mauricio Isla (Fenerbahçe-TUR); Gary Medel (Besiktas-TUR); Guillermo Maripán (Alavés-ESP); Jean Beausejour (Universidad de Chile); Paulo Díaz (Al Ahli-ARA); Igor Lichnovsky (Cruz Azul-MEX); Óscar Opazo (Colo Colo); Gonzalo Jara (Estudiantes-ARG)

MEIO-CAMPISTAS

Charles Aránguiz (Bayer Leverkusen-ALE); Arturo Vidal (Barcelona-ESP); Pablo Hernández (Independiente-ARG); Diego Valdés (Santos Laguna-MEX); Erick Pulgar (Bologna-ITA); Esteban Pavez (Colo Colo)

ATACANTES

Nicolás Castillo (América-MEX); Alexis Sánchez (Manchester United-ING); Eduardo Vargas (Tigres-MEX); José Pedro Fuenzalida (Universidad Católica); Junior Fernandes (Antalyaspor-TUR); Ángelo Sagal (Pachuca-MEX).

 

EQUADOR

A equipe equatoriana começou bem as Eliminatórias para a Copa de 2018, porém não conseguiu dar continuidade no bom futebol. O Equador será um adversário que vai dar bastante trabalho para qualquer seleção na Copa América. O treinador colombiano Hernán Darío Gómez, conhece muito o futebol Sul-americano, o Equador tem nomes como Enner Valencia, Ángel Mena e Arboleda. Trata-se de um time de muito vigor físico.

Técnico: Hernán Darío Gómez

Destaque: Enner Valencia

A estreia na competição será no dia 16, contra o Uruguai, no Mineirão

GOLEIROS

Alexander Domínguez (Vélez Sarsfield); Máximo Banguera(Barcelona de Guayaquil); Pedro Ortiz (Delfín)

DEFENSORES

Gabriel Achilier (Morelia-MEX); Arturo Mina (Yeni Malatyaspor-TUR); Robert Arboleda (São Paulo); Xavier Arreaga(Seattle Sounders-EUA); Pedro Pablo Velasco (Barcelona de Guayaquil); José Quintero (LDU); Cristian Ramírez (Krasnodar-RUS); Beder Caicedo (Barcelona de Guayaquil).

MEIO-CAMPISTAS

Jefferson Intriago (LDU); Jefferson Orejuela (LDU); Jhegson Méndez (Orlando City-EUA); Carlos Gruezo (Dallas-EUA); Andrés Chicaiza (LDU); Renato Ibarra (América do México); Antonio Valencia (Manchester United); Romario Ibarra (Minnesota United-EUA); Ayrton Preciado (Santos Laguna – México)

ATACANTES

Enner Valencia (Tigres-MEX); Ángel Mena (León-MEX); Carlos Garcés (Delfín).

 

JAPÃO

A seleção japonesa volta a disputar a Copa América após 20 anos, o país foi convidado para participar desta competição pela segunda vez, em 1999 acabaram sendo eliminados na primeira fase, com duas derrotas e um empate, ficaram com a lanterna do grupo.

Este ano o Japão vem com uma equipe totalmente renovada para a competição, com apenas seis nomes do time principal, os Samurais azuis chegam no o Brasil com a equipe olímpica, visando os jogos de Tóquio do ano que vem.

Técnico: Hajime Moriyasu

Destaque: Shoya Nakajima

Japão estreia contra o Chile, no dia 17, no estádio do Morumbi.

GOLEIROS

Eiji Kawashima (Strasbourg-FRA); Ryosuke Kojima (Oita Trinita-JAP); Keisuke Osako (Sanfrecce Hiroshima-JAP)

DEFENSORES

Tomoki Iwata (Oita Trinita-JAP); Teruki Hara (Sagan Tosu-JAP); Daiki Sugioka (Shonan Bellmare-JAP); Daiki Suga (Hokkaido Consadole Sapporo-JAP); Naomichi Ueda (Cercle Brugge-BEL); Ko Itakura (Groningen-HOL); Yugo Tatsuta (Shimizu S-Pulse-JAP); Takehiro Tomiyasu (Sint-Truiden-BEL); Yuta Nakayama (Zwolle-HOL)

MEIO-CAMPISTAS

Gaku Shibasaki (Getafe-ESP); Taishi Matsumoto (Sanfrecce Hiroshima-JAP); Kota Watanabe (Verdy Tokyo-JAP); Koji Miyoshi (Yokohama F. Marinos-JAP); Shoya Nakajima (Al Duhail-CAT); Tatsuya Ito (Hamburgo-ALE); Hiroki Abe (Kashima Antlers-JAP)

ATACANTES

Takefusa Kubo (FC Tokyo-JAP); Shinji Okazaki (Leicester-ING); Daizen Maeda (Matsumoto Yamaga-JAP); Ayase Ueda (Hosei University-JAP).

Japão estreia contra o Chile, no dia 17, Morumbi.

 

URUGUAI

Campeão em 2011, a equipe celeste chega ao Brasil com sede de título. O treinador Óscar Tabárez convocou apenas um jogador que atua no futebol brasileiro, o meio-campo do Flamengo Arrascaeta.

O atacante Luís Suárez se recupera de uma artroscopia no joelho, porém a expectativa é pela presença do atacante sem maiores problemas na competição. O atacante do Barcelona é a peça de confiança do treinador Óscar Tabárez.

Treinador : Óscar Tabárez

Destaque: Luís Suárez

O Uruguai estreia no dia 16, contra o Equador, no Mineirão.

GOLEIROS

Fernando Muslera (Galatasaray); Martín Campaña (Independiente) e Martín Silva (Libertad)

DEFENSORES

Diego Godín (Atlético de Madrid); José María Giménez (Atlético de Madrid); Sebastián Coates (Sporting); Martín Cáceres (Juventus); Marcelo Saracchi (RB Leipzig); Diego Laxalt (Milan); Giovanni González (Peñarol)

MEIO-CAMPISTAS

Matías Vecino (Internazionale); Lucas Torreira (Arsenal); Rodrigo Bentancur (Juventus); Federico Valverde (Real Madrid); Nahitan Nández (Boca Juniors); Nicolás Lodeiro (Seattle Sounders); Giorgian De Arrascaeta (Flamengo); Gastón Pereiro (PSV)

ATACANTES

Luis Suárez (Barcelona); Edinson Cavani (PSG); Cristhian Stuani (Girona); Maxi Gómez (Celta de Vigo); Jonathan Rodríguez (Cruz Azul).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *