Resumo das oitavas de final da Copa do Mundo feminina

RAFAEL ZEMPULSKI

Nas últimas duas semanas, pudemos presenciar uma grande quantidade de novidades, surpresas e grandes discrepâncias tanto na nítida evolução do futebol feminino a nível mundial, quanto na grande diferença também entre as seleções e os níveis esportivos praticados. Pudemos compartilhar e admirar muito toda a cobertura que foi feita sobre o torneio, o envolvimento do público que assistiu nos estádios e assistiu em casa e a quebra de vários recordes financeiros, de público, de arrecadação e tantos outros detalhes.

Por todo contexto de diferenças de investimento entre o futebol feminino e masculino, a proibição que as mulheres tiveram de praticar o futebol, foi gratificante testemunhar a superioridade técnica de grandes seleções como Estados Unidos, França, Alemanha e Holanda, bem como o esforço e emoção de seleções que estiveram pela primeira vez na competição, ou ao menos puderam disputar a competição com mais competitividade, como Nigéria, Argentina, Camarões e Chile.

Com isso, acompanhando os jogos, os grandes veículos de informação internacional (The Guardian, France Football e o GloboEsporte) e as projeções coletivas e individuais, produzimos um resumo sobre as oitavas de final da Copa do Mundo Feminina de Futebol 2019.

ALEMANHA X NIGÉRIA – 22 de Junho às 12h30 em Grenoble.
Alemanha (3 vitórias, 6 gols marcados): algoz da seleção brasileira nas últimas grandes competições internacionais, em ambos os sexos, as alemãs chegam as oitavas de final com 100% de aproveitamento e nenhum gol sofrido. Na nossa avaliação, é a quarta seleção com mais chances de conquistar o título mundial. Isso porque nas vitórias contra China e Espanha o placar foi simples, mas o fato de não passar por grandes dificuldades durante os jogos é favorável também.
Nigéria (1 vitória, 2 derrotas, 2 gols marcados e 4 sofridos): a seleção do noroeste Africano chega com a pior campanha entre as classificadas, devido aos números e a dificuldade do grupo, para tentar surpreender as europeias. A classificação pode ser considerada um prêmio devido à fácil vitória contra as sul-coreanas e a bravura demonstrada no jogo contra as donas da casa.

NORUEGA X AUSTRALIA – 22 de Junho às 16h em Nice.
Noruega (2 vitórias, 1 derrota, 6 gols marcados e 3 sofridos): a seleção Norueguesa pôde cumprir seu papel de ser a segunda força do grupo, perdendo apenas para a forte seleção francesa, também dona da casa. Apesar do bom ritmo de jogo e de ostentar um título mundial e várias boas participações, certamente a seleção nórdica enfrentará problemas devido à contusão da sua principal atacante Hansen. Porém, se ela recobrar as condições de jogo as chances aumentam.
Austrália (2 vitórias, 1 derrota, 8 gols marcados e 5 sofridos): é difícil prever as reais chances das australianas, pois ninguém duvida do bom futebol praticado e do faro de gol da atacante Kerr, que já fez 5 até agora. O que pesa contra é a má fase defensiva que vive o selecionado, com grandes defeitos no posicionamento da zaga, visto que a classificação australiana deveria ser mais fácil do que realmente foi.

INGLATERRA X CAMARÕES – 23 de Junho às 12h30 em Valenciennes.
Inglaterra (3 vitórias, 5 gols marcados e 1 sofrido): as britânicas tiveram uma classificação tranquila, com 3 vitórias num grupo com uma campeão mundial, as japonesas. Por isso despontam no top 3 de chances de conquista de título. O consagrado ex-jogador Neville, atual técnico inglês precisará mostrar uma consistência maior ainda para chegar à final da competição.
Camarões (1 vitória, 2 derrotas, 3 gols marcados e 5 sofridos): Em números, as leoas tiveram o pior desempenho junto com a Nigéria, mas por estarem no “grupo da morte” e já terem participado do mata-mata na copa passada, poderão oferecer certa dificuldade à seleção inglesa. A expectativa ficará por conta do volume ofensivo a ser apresentado.

FRANÇA X BRASIL – 23 DE JUNHO ÀS 16H EM LE HAVRE.
França (3 vitórias, 7 gols marcados e 1 sofrido): As mandantes tem o absoluto favoritismo contra a nossa seleção. A estreia brilhante empolgou merecidamente a equipe e a torcida, porém, a leve queda de rendimento deixou uma dúvida para o enfrentamento de seleções mais fortes. Mesmo ganhando de uma potência europeia na fase de grupos, a vitória por 2×1 contra as norueguesas não veio a ser o grande teste, pois a Noruega não alcança o top 3 há anos. Mesmo assim, na nossa avaliação é a segunda principal favorita.
BRASIL (2 vitórias, 1 derrota, 6 gols marcados e 3 sofridos): nossa seleção enfrentou dificuldades já esperadas para a classificação, mas com 2 sólidas vitórias cravou seu lugar para enfrentar as donas da casa. O destaque fica por conta das jogadoras mais experientes, com a ajuda ponta Debinha. O ataque é positivo, mas como as chances de classificação não são muitas é importante uma melhoria grande no posicionamento e na tomada de decisão defensiva.

ESPANHA X ESTADOS UNIDOS – 24 de Junho às 13h em Reims.
Espanha (1 vitória, 1 empate, 1 derrota, 3 gols marcados e 2 sofridos): As espanholas chegam como time “azarão” devido ao fato de serem uma seleção sem muita tradição. O que pesa a favor é que elas puderam segurar a tradicional seleção chinesa e que o futebol é bem jogado, mesmo sem muita objetividade ofensiva. Devido a todos esses fatores e mais o fato de enfrentarem as maiores campeãs da modalidade, as chances só não são menores do que as das nigerianas.
Estados Unidos (3 vitórias e 18 gols marcados): os números falam por si só, tricampeã de futebol, melhor ataque, sem derrotas, sem gols sofridos e com uma fácil vitória sobre a grande equipe sueca, as norte-americanas são as favoritas para ganhar novamente o mundial. Na sequência, se o selecionado brasileiro não surpreender, terão a chance de despachar a França, atual principal concorrente, nas quartas.

SUÉCIA X CANADÁ – 24 de Junho às 16h em Paris.
Suécia (2 vitórias, 1 derrota, 7 gols marcados e 3 sofridos): a fortíssima seleção sueca teve vitória tranquila contra Chile e Tailândia, porém preocupou um pouco no duelo contra as norte-americanas. Não pela derrota, pois seria um placar normal, mas as nórdicas enfrentaram grande dificuldade na criação ofensiva. De qualquer modo, não há motivo para duvidar de outras boas apresentações.
Canadá (2 vitórias, 1 derrota, 4 gols marcados e 2 sofridos): esperava-se um pouco mais da seleção canadense, mesmo que não tenha decepcionado. Isso, pelo fato de apresentar certa dificuldade defensiva, o qual justamente era o ponto forte. O ataque, mesmo que ainda precise encontrar mais repertório, teve um desempenho condizente com a força da experiente Sinclair, resultando em saldo positivo e classificação.

ITÁLIA X CHINA – 25 de Junho às 13h em Montpellier.
Itália (2 vitórias, 1 derrota, 7 gols marcados e 2 sofridos): Talvez a principal surpresa da competição, as italianas derrotaram as favoritas do grupo, Austrália e venderam caro a derrota para o Brasil. Com um bom controle do ritmo de jogo, as italianas, que vem demonstrando o melhor futebol de toda sua história tem chances de vencer a tradicional seleção chinesa.
China (1 vitória, 1 empate, 1 derrota, 1 gol marcado e 1 sofrido): A China demonstrou um futebol muito “burocrático” nesse mundial. Mesmo não fugindo de desempenhos passados, as chinesas costumam oferecer dificuldade a qualquer seleção, com boas campanhas em anos anteriores. A grande dificuldade é o volume ofensivo e o principal, marcar gols.

HOLANDA X JAPÃO – 25 de Junho às 16h em Rennes.
Holanda (3 vitórias, 6 gols marcados e 2 sofridos): as leoas laranja responderam positivamente a dificuldade de estar no grupo mais difícil do mundial. Com um futebol bastante ofensivo, a ex melhor do mundo Martens esta recebendo valiosa ajuda das outras jogadoras de frente, como Miedema, Van den Sanden e Van de Donk. As holandesas só não estão no top 3 de prováveis campeãs, porque precisam demonstrar melhor organização no meio de campo e defesa. Mesmo assim vem com 100% de aproveitamento.
Japão (1 vitória, 1 empate, 1 derrota, 2 gols marcados e 3 sofridos): podemos dizer que o Japão foi à surpresa negativa até agora. As campeãs de 2011 parecem estar passando por um período de entressafra, com pouca produtividade ofensiva e muita dificuldade na troca de passes do meio pra frente. Saem atrás nas chances de avançar, mas ainda tem chances de apresentar bom futebol.

Analisando os confrontos e o chaveamento, aqui vai o palpite do repórter/torcedor para as Quartas de Final:

Austrália x Inglaterra
BRASIL x Estados Unidos
Itália x Holanda
Alemanha x Suécia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *