Resumo para o mata-mata da Copa América (Quartas de Final)

RAFAEL ZEMPULSKI

Chegamos ao final da fase de grupos da Copa América. Nessa edição não tivemos presença de zebras, pelo menos para essa primeira parte qualificatória. Nossa seleção, dona da casa, pode ser qualificada no intuito de que nem tudo está perfeito como a comissão técnica indica, mas também não está ruim como a torcida e uma parte dos veículos de informação colocam. Mas temos grandes chances de conquistar a taça depois de 3 edições.

Os bons fluídos vem do experiente ataque uruguaio, da boa fase vivida pelos venezuelanos, do positivo ataque brasileiro, entre outros. Já como destaques negativos, novamente a seleção argentina não conseguiu por em prática a vantagem que tem no papel, o enfraquecimento da defesa paraguaia e sobretudo a volta do futebol Equatoriano a um cenário sem destaque algum, pois esta vinha em evolução nas últimas competições internacionais.

Com isso, trazemos para vocês uma análise de cada equipe, de acordo com o que foi apresentando e o que ainda pode apresentar para as seguintes fases, na Copa América do Brasil 2019.

 

BRASIL X PARAGUAI – ÀS 21H30 EM PORTO ALEGRE

 

BRASIL: Com a ausência da principal referência de qualidade, o Brasil vem desenvolvendo um bom papel sem Neymar. É verdade que nas duas primeiras partidas, o jogo se sucedeu um pouco travado em relação à definição e escolhas de jogada no último terço do campo, ou seja, no ataque de Tite. O técnico brasileiro testou algumas opções de formação, e no último jogo parece ter encontrado o melhor desempenho com Everton, Firmino e Gabriel Jesus. Na goleada sobre o Peru, na última rodada, pudemos ver um desempenho mais completo, com volume ofensivo e boas definições. Esperamos que o modo de jogo coletivo possa continuar funcionando, dividindo as responsabilidades do ataque não só com os últimos titulares, mas com David Neres vindo do banco, Coutinho com a criatividade no meio e o repertório ofensivo de Daniel Alves.  Richarlison com caxumba está vetado das quartas de final e provavelmente de todo o resto da Copa América caso o Brasil avance. 
PARAGUAI: Os paraguaios chegam à segunda fase com pior campanha entre os classificados. Sem ganhar e com apenas 2 pontos, será um grande desafio para os vizinhos conseguirem dificultar a classificação brasileira. É importante reconhecer a dificuldade do grupo, que tinha Argentina e Colômbia, mas mesmo assim esperava-se ao menos uma vitória contra o Catar. A consistência defensiva não esta muito alta como já esteve, principalmente pelo fato de que o principal zagueiro, Balbuena, perdeu a condição de titularidade durante a competição.

 

VENEZUELA X ARGENTINA – às 16h no Rio de Janeiro

 

VENEZUELA: a seleção “vinotinto” vem fazendo um papel interessante no cenário continental. Mesmo que a evolução seja um pouco lenta, atualmente a Venezuela tem jogadores com melhor experiência internacional, como o principal atacante Rondon, mas pode-se destacar o jovem goleiro Fariñez também, pretendido pelo grande Barcelona. A campanha, dentro de suas possibilidades, foi perfeita para a classificação segurando dois empates contra Brasil e Peru, e conquistando uma vitória contra a Bolívia. Agora o desafio é grande, e a vitória contra a Argentina precisa ocorrer.

ARGENTINA: a decepção com a campanha argentina não pequena. A derrota contra o Colômbia não é algo fora da curva, mas empatar com a frágil seleção paraguaia, conseguindo apenas vencer a seleção convidada do Qatar. Muito dessa má fase passa pelo desempenho de seu principal craque, Lionel Messi. O desempenho em campo do craque argentino tem sido abaixo de sua média, mesmo em relação as atuações dentro do próprio selecionado. O ponto positivo é a liderança extracampo do craque, que auxilia a inexperiência do técnico Scaloni, que na parte técnica vem fazendo o que pode e parece ter encontrado uma formação mais funcional com Martinez, Messi e Aguero. Há grandes chances de a semifinal ocorrer entre Brasil x Argentina.

 

COLÔMBIA X CHILE – às 20h em São Paulo

 

COLÔMBIA: A seleção colombiana chega o mata-mata com o melhor desempenho total, sendo a única 100% com 3 vitórias e nenhum gol sofrido. A consistência de desempenho passa por um sistema defensivo com boa presença, jogadores experientes como Barrios, Cuadrado, James e um ataque forte com Falcão e o artilheiro Zapata. Dos últimos destaques internacionais, infelizmente a Colômbia não conquistou títulos mas teve boas participações e jogadores estrelando grandes equipes. Outro ponto interessante, que em comparação ao Chile é um ponto positivo, é que há renovação e a reposição de nomes ocorre mantendo a qualidade. Junto com o Uruguai e Brasil, é top 3 dentre os favoritos a conquistar o título.

CHILE: Os atuais campeões levantaram uma boa perspectiva de desempenho na primeira rodada, com uma goleada sobre a seleção do Japão. Entretanto, alguns fatos complicam o antigo favoritismo chileno, visto que há uma certa de dificuldade na renovação do selecionado em relação aos próprios jogadores e o fato de não ter classificado para o último mundial, mesmo sendo bicampeão das Américas e vice-campeão da Copa das Confederações. Esse insucesso fez com que a melhor geração de todos os tempos do país perdesse a chance de colocar em campo uma seleção amadurecida e com possibilidade de fazer um bom papel. Esse será o maior duelo entre todos das quartas de final, e quem passar ganhará moral para enfrentar a próxima fase.

 

URUGUAI X PERU – às 16h em Salvador

 

URUGUAI: A seleção celeste chega com um resultado animador após a vitória contra o Chile, por 1×0 no Maracanã. Seu experiente ataque composto por Suárez e Cavani consegue impor muitas dificuldades a qualquer seleção do mundo. O trabalho de 13 anos que Oscar Tabarez implementou no Uruguai, trouxe uma linha de evolução muito consistente e resultados como o quarto lugar na Copa do Mundo de 2010 e a Copa América de 2011. O interessante é que muitos sabem como o selecionado uruguaio se comporta, mas é difícil combater o desempenho dentro de campo pelo grande entrosamento da equipe.

PERU: Depois de participar de uma Copa do Mundo passados mais de 20 anos, os peruanos liderados pelo talvez maior jogador de sua história, Paolo Guerrero, chegam as quartas de final com uma campanha dentro da média mínima para classificação. Dentro de campo, a seleção precisará mostrar muito mais desempenho do que já o fez na fase de grupos. O ponto mais frágil Peruano, que é a defesa, enfrentará o principal ponto Uruguaio, que é o ataque. A seleção do Peru precisará de inspiração individual de jogadores experientes para que Guerrero possa ajudar lá na frente.

 

Apresentado os duelos, aqui vai o palpite para classificação às semifinais:

 

BRASIL X Venezuela

Colômbia x Uruguai

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *