Noite de Libertadores para rubro-negros esquecerem

ASSINATURA CLAUDEMIR

Flamengo, Internacional e Athletico Paranaense entraram em campo, nesta quarta-feira (24), pela partida de ida das oitavas de final da Taça Libertadores da América. Mengão e Inter jogaram fora dos seus domínios e buscavam pelo menos um empate para decidir em casa na semana que vem, já o Furacão queria usar o fator “panela de pressão” da Arena da Baixada para ir mais tranquilo à decisão em Buenos Aires. Os gaúchos conseguiram um excelente resultado ao vencer o Nacional por 1 a 0 no Uruguai e agora podem até perder por diferença de um gol no Beira Rio, que avançam às quartas de final. Os rubro negros largaram mal e a classificação ficou muito ameaçada, Flamengo foi derrotado por 2 a 0 para o Emelec e o Atlhetico PR não segurou o Boca que saiu com 1 a 0 na bagagem. 

 

Ninguém duvida da capacidade técnica do treinador Jorge de Jesus, mas ele derrapou feio e tem muito a lamentar na derrota do Flamengo. O time fez uma atuação abaixo do esperado, muito por conta das mexidas que o comandante fez na equipe, principalmente por não contar com Arrascaeta, Everton Ribeiro e Vitinho, além da baixa do Diego que fraturou o joelho durante a partida. É um resultado perigoso, o time do Emelec não é um “bicho papão”, os rubro negros conseguem reverter esse placar no Maracanã lotado, mas precisa consertar esse sistema defensivo. A zaga desarrumada foi pega de surpresa em muitos momentos do jogo, o primeiro gol saiu dessa forma. Outro ponto importante, Jorge Jesus não precisa deslocar o Rafinha para compor a segunda linha, jogador que constrói precisa ter espaço. É só o técnico não inventar “moda” que o time tem totais condições de seguir em frente na Libertadores. 

 

Em Curitiba, na Arena da Baixada, foi o melhor jogo desta fase, sob o olhar de um pouco mais de 34 mil torcedores, os dois times foram agressivos, buscaram o ataque, mas o Boca Juniors com toda a sua experiência conseguiu frear o time paranaense ao anular a maioria das suas investidas. Em um contra-ataque no segundo tempo, o time argentino saiu na frente, os comandados de Thiago Nunes ainda tiveram a chance em um pênalti que foi marcado pelo VAR, mas Marco Ruben chutou na trave. Que pecado. Dá para reverter o placar? É possível, o futebol é um esporte interessante que permite acreditar sempre, mas jogando lá em Buenos Aires com uma desvantagem de 1 gol, não podendo levar, acredito que ficou muito difícil avançar. Uma pena.

 

E o Internacional? Que fase maravilhosa! O time é semifinalista da Copa do Brasil e deu um passo muito importante para avançar às quartas de final da principal competição do continente. Venceu no Uruguai com uma atuação consistente e derrubou um time que não perdia em casa há duas pelo menos duas Libertadores. Esse gol do Guerrero foi no último minuto. Odair Hellmann está fazendo um excelente trabalho, vejo o time gaúcho no caminho certo para uma possível conquista nesta temporada em uma das competições que ele segue em frente, com exceção do Campeonato Brasileiro que acho difícil ficar fora das mãos de três concorrentes diretos: Palmeiras, Santos e Flamengo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *