Decepcionante? Sério?

ASSINATURA DANILO

Usar o substantivo decepcionante é forte, não é mesmo? É diminuir aquele profissional, é querer dizer que ele fracassou, que não supriu as expectativas, não é mesmo? Fulano decepciona e fica com a prata. Opa, pera aí, decepciona e fica com a prata? Onde já se viu decepcionar e ficar com uma medalha pan-americana? Como dizia o barão Pierre de Coubertin – criador dos Jogos Olímpicos da Era Moderna, ou o bispo de Londres antes das Olimpíadas de 1908 (existe uma versão que fala que a frase veio do bispo londrino num ato religioso antes dos Jogos de 1908) “o importante não é vencer, mas competir”.

Você sabe o esforço de um atleta para chegar em uma Olimpíada ou Pan-americano? Quantos treinam e treinam, mas não conseguem chegar nessas competições? Sem sombra de dúvidas disputar um Jogos desse nível é o auge da carreira de um desportista, assim como chegar a cobrir um evento desse porte é o auge da carreira de nós jornalistas. Só de disputar um Pan ou Olimpíada já é motivo de orgulho, medalhar ou não é consequência externa que envolve mil outras coisas, por exemplo:

1 – Investimento: o qual é extremamente precário no Brasil, não existe apoio ou quando existe é muito deficiente. Sabemos muito bem que o governo e empresas preferem mil vezes apoiar o futebol masculino do que outras modalidades;

2 – Esforço: pois para um atleta chegar nesse nível, sem o primeiro pontos que citei, ele precisa de muito, mas muito esforço e amor pelo esporte. Agora não me venha dizer que fulano decepcionou ou sicrano surpreendeu.

Você acompanha as modalidades olímpicas? Quantas competições do Arthur Zanetti você viu neste ano? Sabia que a melhor marca do mundo em 2019 é dele? Não? Então por que acha que ele decepcionou ao ficar com a prata no Pan? O cara é humano, de uma simplicidade tremenda e falo com a firmeza de um repórter que o entrevistou um ano após o ouro olímpico em Londres-2012.

Usei o caso do Zanetti apenas como exemplo, mas inúmeras reportagens neste Pan usam a palavra, surpresa, decepção para atletas que estão em uma crescente faz tempo. Eu que acompanho afinco as modalidades não vi surpresa no Brasil ter tido um desempenho fantástico no taekwondo, inclusive entrevistamos a atleta Talisca Reis neste ano e sempre postamos matérias sobre ela e o namorado Netinho que sagrou-se campeão no taekwondo no Pan. Para nós não houve surpresa nenhuma e nem tampouco novidade. Então vamos acompanhar melhor as modalidades para daqui um ano não achar nenhuma surpresa uma medalha olímpica do Brasil. E ah, vamos torcer por mais investimentos no esporte, pois não tenho dúvidas que podemos e temos qualidade de sobra para sermos uma potência olímpica.

Aliás, decepcionante é o abandono do Parque Olímpico Rio-2016, decepção é ver obras milionárias abandonadas enquanto podiam estar servido de estrutura para os nossos atletas. Quem decepciona é o nosso Governo Federal que diminuiu verbas da educação, que não investe no esporte e fica mais preocupado com interesses políticos. Decepção é ver quantos jovens atletas são prejudicados por falta de estrutura e quantos sonham em chegar perto daqueles que os jornais falam que surpreenderam ou decepcionaram, quando eles são exemplos.

Decepção, meus amigos, é ter que escrever esse texto e tentar mostrar para o brasileiro que não é só o futebol que importa e que ganhar uma medalha seja ouro, prata ou bronze é uma conquista. E que mesmo se não ganhar nada não acabou sendo decepcionante a participação.

2 comentários em “Decepcionante? Sério?

  • 1 de agosto de 2019 em 12:59
    Permalink

    Parabéns pela matéria, pura verdade, é decepcionante ter que concordar com tudo que foi escrito!!!

    Resposta
  • 5 de agosto de 2019 em 19:59
    Permalink

    Os argumentos estão muito bem colocados, mas o texto peca no final. Precisamos dar nome às pessoas que enriqueceram sob a sombra de um inexistente legado olimpico. Não há nada que tenha sido construído pela gestão do PT, em conluio com o Cabral, e que propiciou um crescimento esportivo ao país. Bilhões e bilhões retirados de serviços essenciais aos mais pobres em beneficio do bolso de alguns. Essa é a realidade nacional que se pretende mudar de agora em diante.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *